Chear Squad

 

Chegou o tão esperado dia! Dormi pouco, mas bem, profundamente. No dia anterior eu repousei – e em Orlando isso significa ficar sentado em uma poltrona em algum Outlet, tomando bastante água e vendo o movimento, enquanto esposa e filhinho fazem compras – comi quase que exclusivamente carboidratos, evitando gorduras, alimentos de difícil digestão e novidades gastronômicas de última hora. Não cometeria nenhum erro bobo justo agora!

 

Acordamos às 3 horas da manhã, com muito frio. No hotel, apenas a movimentação de gente animada, porém em silêncio, de tênis e agasalho, concentrados para um grande dia esportivo. Embarcamos no ônibus e seguimos direto para o Epcot, local da largada.

 

Uma dica importante para quem vai com “torcida” como eu, principalmente crianças, é inscrever a turma no ChEAR Squad (um trocadilho bacana entre “torcida” e “orelhas” – afinal é o orelhudo mais famoso do mundo que manda lá!). Esse Equadrão de Torcedores tem alguns privilégios, como camiseta personalizada, brindes, manta térmica para se proteger do frio enquanto assistem à prova e local especial e super privilegiado em frente à chegada das corridas, em uma arquibancada pra lá de animada. Em uma mega tenda climatizada, pode-se usufruir do conforto de bebidas quentes, sofás e monitores de TV mostrando tudo ao vivo sobre a corrida em andamento. O serviço/regalia é pago e é preciso inscrever seu pessoal. Tudo pelo site rundisney.com.

 

Esperava-se temperaturas entre 5 e 10 graus naquela manhã, e realmente chegamos ao Epcot com muito frio.  Mas logo o dia começou a esquentar, como durante toda aquela semana, chegando à uma máxima de 25 graus durante a corrida. Os alto falantes na área de largada da corrida à todo instante avisavam que aquele NÃO era um dia para recordes pessoais na distância, aconselhando correr conservadoramente e com cuidado na hidratação. Assim fiz – com a prudência que já havia definido, larguei devagar. A primeira onda de largada se dá às 5:30h da manhã, ainda escuro e frio. A elite vai primeiro, apressada. Com intervalos de alguns minutos, vão largando os demais corredores. O meu “corral”, ou baia de divisão, o D, largou pouco mais de 20 minutos depois. Essa largada em ondas em uma prova com mais de 25 mil inscritos faz toda a diferença. Corre-se mais tranquilo, com espaço e sem atropelos. Com exceção da Elite que lá estava para ganhar o troféu, ninguém parecia querer acelerar demais. Afinal, quem entra em uma festa das boas já olhando pro relógio esperando a hora de ir embora? E festa à fantasia, muito melhor! Muita gente fantasiada como os personagens Disney, ou com chapéus do Pateta, orelhinhas. Uma curtição.

 

Largar no estacionamento do Epcot de madrugada e sair para o meio do nada nas escuras estradas do complexo Disney não parece nada promissor. Mas eu sabia o que estava por vir. Todos estavam. Queima de fogos em todas as largadas, até a última onda, empolgação máxima da torcida, staff e personagens e muita energia. Antes que percebesse ou começasse à suar, chegamos ao Magic Kingdom.  A Main Street USA ainda escura, com o castelo todo iluminado, nos aguardava. Primeira paradinha para fotos, obrigatoriamente! Carreguei uma máquina pequena no bolso para esses momentos. Corremos por trás do castelo e depois passamos por dentro dele, saindo pela frente e encarando o primeiro ponto oficial de fotógrafos, que captam absolutamente todos os corredores para eternas e estimadas lembranças – como essa aqui ao lado. 

 

Nos momentos mais isolados do trajeto, como nas rodovias entre os parques, personagens e alegorias nos distraiam. Filas imensas de corredores se formavam para tirar fotos com os sempre entusiasmados Mickey, Donald e toda a turminha. Eu não o fiz pois quebraria muito meu ritmo ficar parado minutos para uma foto, perdendo o aquecimento, inclusive. Eu não tinha treinado essas pausas tão grandes e a volta ao ritmo anterior na sequência. E não seria justo no dia da prova que testaria algo diferente que pudesse gerar qualquer possibilidade de não cruzar aquela chegada!

 

Tive o prazer e honra de percorrer pela primeira vez na história dessa maratona o Walt Disney World Speedway, circuito oval para carros da Nascar, que nos aguardava cheio de carros de corrida, clássicos antigos e personagens do filme Carros espalhados na parte inclinada da pista, enquanto à pé vivíamos nosso dia de bólidos sobre tênis na parte plana. Aproveite para ler aqui no All Disney News a coluna do amigo Adalberto Althoff sobre Automobilismo na Disney. Muito Bacana!  Até a próxima semana, em que continuarei levando o leitor amigo pelo percurso da grande e inesquecível Maratona Disney em Orlando.

 

 

Por André Orsioli

Orlando & Cia

UM BLOG POR PRISCILA ALTHOFF 

Matérias, notícias e serviços de viagem em geral

Parceiros:

Agaxtur     EasySIM4U      Flytour         Trade Tours
                                 entre outros